>

Salve, Salve!
            Depois de três meses sem postar veja como eu levo a serio esse blog voltei o motivo da demora é simples e explicarei a vocês. Eu quero mostrar trabalhos diferentes, não que não tenha tido durante esses meses, mas. Nenhum com um foco diferente. O ultimo ou melhor o penúltimo foi uma foto para ilustrar um cartaz sobre consciência ambiental.
            Vamos ao que interessa realmente né?

            No dia 9 de junho recebi o convite de uma amiga para fotografar para uma revista que fala sobre a cultura da Região as fotos seria de natureza e ilustrar duas paginas centrais da revista, as fotos também iram ficar expostas na Funarte/Minc no Rio de Janeiro. Depois de tudo acertado, corri atrás de algumas coisas que achei que seria fundamental. Um tripé, Filtros e uma lanterna dessas recarregáveis já que eu iria para dentro da “selva” e lá não tem luz.
             Então com um tempo é curto e comprar fora da cidade ia demorar muito resolvi procurar esses acessórios aqui mesmo, mas infeliz mente não achei nenhum deles então tive de improvisar – dizem que um fotografo sem uma fita crepe não é fotografo, até onde isso é verdade eu não sei.- o tripé eu troquei por um pedestal, esses onde se colocam o microfone, adaptei nele um tripé desses pequenininhos que se acha em lojas de informática. Os filtros eu não achei nenhum nem esse que eu queria. Depois desses problemas “resolvidos” estudei o set e o que eu poderia fotografar.
            Já tinha algumas idéia na cabeça e uma delas era fazer um light painting, nunca tinha feito apenas lido e vistos alguns filmes sobre essa técnica e seria uma boa oportunidade de tentar fazer uma coisa do tipo. A outra idéia era fotografar um rio já que aqui no meu estado é bem abundante. Tendo esse pequeno roteiro do que iria fotografar. Comecei arrumar as malas pra isso. Sai de Vilhena as sete horas e até o local onde iria fotografar que fica mais ou menos a uns 17Km. Cheguei lá no sitio por volta das 7:40 da manhã e ajudei a descarregar o carro e fiquei conversando um pouco com meus pais. Por volta das dez horas fomos atrás dos locais onde iria tirar as fotos.
            A caminhada na mata demorou cerca de 1 hora e quando cheguei estava morto e cansado, quando lembrei o que iria fazer o cansaço passou no mesmo instante. Coloquei a mochila em um lugar seguro e entrei no rio, pra ver se era muito fundo. Tinha cerca de 1.10 metros de profundidade. Voltei peguei a câmera e o pedestal transformado em tripé. Essencial em dizer que a água do rio estava muito, mais muito gelada mesmo, tirei as fotos e voltei para casa.
            A noite meus pais foram pescar, fui com eles e quando voltamos resolvi fazer as fotos usando a técnica de light painting, que deu belos resultados ao meu ver. O céu estava bem claro, pois era noite de lua crescente e ela já estava quase cheia. Depois disso fomos nos deitar no dia seguinte voltamos para vilhena. Eu fiquei contente com os resultados que obtive com as fotos, mais parecia que faltava alguma coisa pra fechar o set daí o que acontece, – outra coisa que dizem é que fotografo também tem de ser um cara com sorte- eu moro em uma chácara, e como é uma das únicas que ainda tem uma pequena mata nela volta e meia aparece bichos aqui e dessa vez apareceu uma ninhada de marrecos, seis marrecos pequenininhos, lá no fundo da chácara, foi o que faltava pra fechar o set de fotos. Tirei algumas fotos deles e eles sumiram do mesmo jeito que apareceram.
P.S: as especificações das fotos vocês podem conferir no meu flick
É só clicar na foto depois ações> Visualizar informações de Exif
Abraços \o
Anúncios